sexta-feira, 19 de junho de 2009

Pequena mudança

Ativei a autorização para a postagem de comentários anônimos no que escrevo. Vai contra o meu ideário pessoal incentivar o anonimato, mas conheço o mundo em que vivemos e o Brasil que temos. Às vezes, o anonimato - ainda que só imaginado, porque ele não é inquestionável - representa a única salvaguarda para uma pessoa bem intencionada, mas sujeita às vaidades do pseudo-poder alheio.

Infelizmente, o anonimato também á arma nas mãos de gente insana. Neste caso, a figura da moderação é imperativa. Se você precisa de espaço para perpetrar atrocidades, crie o seu. A Internet é imensa, anárquica e possui muitos recursos gratuitos.

Não sei se a mudança que fiz agora durará muito tempo. Estou fazendo testes para melhorar este blog, no que for possível e justo. Se esta mudança vier para ficar, se o trabalho dialógico sair engrandecido, ótimo. Não sou maluco para imaginar que minhas verdades são universais. Preciso conhecer e validar as outras.

Se a mudança não der certo, paciência. O máximo que pode acontecer é eu continuar trabalhando para melhorar o blog, em outras esferas.

Um abraço!

2 comentários:

Anônimo disse...

Boa iniciativa, Célio. Em uma cidae como a nossa, a liberdade de expressão pode ser apenas simbólica. Imagine um empregado de uma das empresas do Mauri Torres falar mal da Rádio Cultura: poderia ser mandado embora. Em Monlevade, terra de mentes pequenas e olhos grandes, isso é muito comum. Sem identificação, a opiniao pode ser expressada sem medo, no exemplo acima. e a moderação existe para coibir abusos. Parabéns.

Célio Lima disse...

A realidade do que vemos não pode ser negligenciada. A figura da moderação não é muito simpática, mas permite que as pessoas interajam com o blog, o que o engrandece.

Somente minha participação não seria, jamais, suficiente para que este espaço se transformasse em algo além de minhas possibilidades. Que são limitadas, também. Às vezes, eu gostaria do anonimato para evitar represálias injustas.

Obrigado pelo comentário.