segunda-feira, 22 de junho de 2009

Prefeitura dispensa Clonk sem avisá-lo

Acabo de ouvir na Rádio Cultura, sem me aguentar de tanto rir, que a Prefeitura dispensou Clonk de suas atividades laborais sem avisá-lo previamente. Explico:

Para quem não conhece, o cidadão em tela participou de forma marcante no desenho "Esquadrilha Abutre" em que ele, Dick Vigarista e Mutley perseguiam de forma incessante - e incapaz - o pombo correio Doodle.

Clonk sempre se notabilizou por ser impossível entender o que falava. Parece que não mudou desde então. O áudio utilizado, distorcido pela equipe da Rádio para preservar a identidade do sujeito, tornou a matéria uma das coisas mais hilárias e inúteis que eu já presenciei na vida. Estou me rachando de rir do pobre Clonk, que para receber o seguro-desemprego vai ter que pagar os serviços de um intérprete.

Voltando ao foco da seriedade, se a denúncia contiver algo de útil além do sensacionalismo evidente, deve ser alvo de investigação a cargo dos organismos responsáveis. Não por parte da Rádio Cultura, que está caminhando ladeira abaixo com "jornalismo" que nos leva, imediatamente, a aplaudir o STF pela extinção da exigência do diploma de curso superior para o exercício desta arte nobre.

Talvez seja o caso de colocar tal investigação nas mãos dos vereadores de oposição, o que nos garantirá ainda mais diversão ao longo do processo. Não duvido de que quarta-feira será uma farra só...

Para quem possua um mínimo de seriedade permeando o intelecto, recomendo buscar as informações - oficiais e portanto sujeitas ao crivo da Justiça - junto à Assessoria de Comunicação da Prefeitura Municipal.

Aos demais, liguem para a Rádio e peçam por mais "falas distorcidas". Garanto as gargalhadas.

2 comentários:

Anônimo disse...

Pena que não ouvi, deve ter sido hilário. Mas, só para saber, quem foi demitido e por quê?

Célio Lima disse...

Esta é uma pergunta para a qual será difícil obter respostas concretas. Para começar a Rádio omitiu a identidade do demitido, depois lançou o aúdio do Pato Donald para reforçar a "matéria" e, finalmente, não consultou a ACom da Prefeitura para o devido contraditório. Somente o que consegui entender - já que foi narrado pelo locutor - é que teria sido um integrante da Frente de Trabalho.