sexta-feira, 4 de setembro de 2009

Parabéns à Dorinha Machado

Não pela absolvição obtida; esta é reflexo do fato de que a Justiça, como qualquer outro, reavalia suas atitudes e direcionamentos sempre que um bem maior advém de tal prática.

Os parabéns dirigem-se mais à pessoa de Dorinha, que não precisa da política para se manter economicamente. A atuação pública, para Dorinha, parece ser profissão de fé. E deste tipo de trabalhador a política pode sempre se orgulhar de ter.

Outro aspecto positivo diz respeito à sinalização da Justiça Eleitoral quanto ao processo do Prefeito Gustavo Prandini. Se absolvido, a cidade poderá se beneficiar de uma liderança consolidada com serenidade, em lugar de pontuada por debates improdutivos sobre sua legítima vitória nas eleições passadas.

É uma expectativa que tende a minorar as forças de quem governa, para o bem ou para o mal. Até para a oposição seria mais produtivo: após tantos anos, desacostumaram-se com a idéia de que governos devem ser inteligentes, e oposições devem ser em dobro. Ou o jogo não se inverte e o povo acaba saindo no prejuízo.

Prefiro que a Câmara e a Prefeitura tenham lideranças serenas e tranquilas quanto à sua atuação precípua. A cidade tende a ganhar muito com este fato.

2 comentários:

Anônimo disse...

Desculpe a pergunta, mas você está sendo irônico quando diz que a política pode se orgulhar de ter uma pessoa como Dorinha? Não consigo interpretar de outro modo, pela percepção que tenho da sua pessoa. A tal fase da luz é uma grande ironia afinal?

Célio Lima disse...

A Luz é para que eu observe com os olhos da bondade, tudo que não seja declaradamente negativo. Veja, pelo meu passado, que já elogiei a lealdade e gratidão sinceras de Sinval. Ele não poderia ser vereador, mas o povo de Monlevade decidiu assim.

Dorinha não precisa meter a mão nos cofres públicos, porque possui dinheiro próprio. E foi escolhida pelo povo de Monlevade. A fase Luz me impede de pensar o quanto o povo de Monlevade merece o que coloca, nas funções públicas relevantes.

Temos um parque de cursos de ensino médio invejável, instituições de ensino superior em boa quantidade, e continamos néscios na hora de votar. Mas somos humanos e monlevadenses.

Melhor aproveitar a fase Luz e focar sobre o que há de positivo em qualquer ato de vontade humana, porque realmente não existe o mal absoluto. Ninguém pratica o mal pelo prazer, mas principalmente pelas circunstâncias.

E da pluralidade vem o ganho de consciência social. Meu respeito por Dorinha e Sinval, por exemplo, deve merecer sua justa revolta, se você não concordar comigo neste aspecto. Sua participação está aqui, sem ressalvas, sem desculpas, sem ironia. Ou é assim ou o Blog morre, por falta de espírito democrático.

E, claro, talvez você saiba de algo que eu não sei ou não posso provar. Neste caso, somente sua consciência e ação é que irão fazer qualquer diferença.

Um abraço!