quinta-feira, 7 de julho de 2011

Pagando uma aposta - MM

Vou pagar uma aposta que fiz com o Marcos Martino, porque eu perdi feio. Na Audiência Pública Licitatória sobre a 381, que nós presenciamos há pouco tempo, falou-se em prazo de início das obras o mais rápido que fosse possível.

Eu acreditei, o Martino não. Eu até disse que ele estava mais pessimista que eu, na época. Que a "conjuntura" estava se formatando como a ideal para o início das obras: já está atrasada para a Copa e já virá tarde demais para os amigos que perdemos. Que a economia brasileira se beneficiará demais da duplicação para que a obra ainda demore. Que os arranjos e conluios já estavam fechados na época, por isso a garantia de início das malditas obras.

Fazer o quê? Peço desculpas ao Martino por ter duvidado da capacidade dele de analisar um cenário. E por não ter duvidado que no Brasil, boi voa o tempo inteiro, se isso for conveniente.

A obra vais sair um dia, porque essa camarilha que tomou conta do país precisa do dinheiro roubado do povo, como o gafanhoto precisa da plantação bem cuidada para devastar e se manter vivo. Só não me perguntem quando a duplicação da 381 vai sair, porque agora não tenho certeza de mais nada.

Deus nos livre de nós mesmos. Nós votamos.

Um comentário:

Celso4Fury disse...

Você robô, está sempre inconformado com a mesmice de sempre.
Vive anseios por mudanças, mudanças reais e práticas, válidas para os sonhos que alimenta.
Contudo meu caro, ainda há muitas raposas e lobos no cenário político-lobista de nosso páis...
Tente acompanhar mais amíude a farra dos gastos com 2014, prá ver se consegue!
Certa feita eu percebi um orçamento de 100 bi, hoje a quantas vai?
Talvez até mesmo as poderosa Arcelor-Mittal, Usiminas e Cenibra, não tem poder de influência sufucuente prá tal milagre...