sexta-feira, 30 de março de 2012

Olha o resultado!


Este é o resultado mais comum da nossa omissão quando o assunto é escolha política. A população passa a viver acreditando que a cadeira é forte demais para ser superada. E aparece um milhar de pessoas dizendo que fizemos uma escolha errada.

Eu nunca tive medo de fazer escolhas, mesmo que erradas. Meu maior medo sempre foi o de não poder fazer escolhas. Quando escolhemos, estamos correndo o risco de acertar e errar, é certo. E a vida é mais bonita, valendo mais a pena, quando podemos escolher o tempo inteiro. Uma hora a gente acerta.

Um comentário:

Celso Augusto Lima disse...

O "chato", é que aprendemos a escolher " o novo", como diferente, do que já nos é conhecido. E investimos nossas esperanças ainda que um tanto receosos, na expectativa que essa investida dê certo, onde e quando já não mais podemos influir sozinhos...
E, depois da escolha errada, as novas escolhas ficam tão desgastantes, é brabo, buscar os novos caminhos, após ver acontecer os mesmos erros de antes, com roupagem diferente.