sexta-feira, 28 de maio de 2010

Mais uma dica de bandeja

Sugiro a todos que utilizem impressão de páginas em grande escala (Prefeitura, Câmara, demais Órgãos Públicos, escolas, etc.), que estudem atentamente a adoção do sistema CISS (Continuous Ink Supply System) ou "Bulk Ink" para minimizar seus custos e ganhar escala e valor agregado a seus produtos finais.

Primeiramente, devo salientar que a impressão em si é ambientalmente desfavorável. Não há como negar o impacto da impressão em papel sobre o Meio Ambiente. Mas como eu não me sinto cretino o bastante para defender o fim da impressão em papel, porque ela faz parte da vida contemporânea, sugiro que esta atividade minimize seu próprio demérito com a compensação em outras áreas.

Uma impressora a jato de tinta é um verdadeiro assalto a mão desarmada contra as pessoas. cada litro de tinta original (seja de fabricante for) tem custo médio de R$ 6.000,00 (SEIS MIL REAIS). Só um louco rematado pagaria. A reutilização das carcaças plásticas dos cartuchos originais diminui um pouco esta esquizofrenia econômica, mas ainda assim não atende aos que necessitam de grande volume de impressões.

Por outro lado, a impressão a laser custa menos que as recargas de cartuchos de tinta, com a desvantagem de não propiciar cores ao trabalho final, e ainda a um custo elevado.

O CISS, ou Bulk Ink, por seu turno, trabalha com tintas de ótima qualidade a preços bem menos extorsivos (R$ 170,00 o litro, ou menos de 3% do valor das tintas originais) e permite um volume de impressão gigantesco e barato. Também elimina a constante troca de carcaças plásticas de cartuchos danificados, o que resulta em ganho ambiental, já que o número destas carcaças a ser descartado diminui muito também.

Cada página impressa no sistema Bulk Ink custa, em média, R$ 0,02 (dois centavos de real). Imaginem a economia que pode ser feita e a sobra financeira que pode ser reaplicada em setores mais estratégicos.

E para que se tenha uma ideia geral sobre a viabilidade do sistema, informo: a cada vez que você encomenda um trabalho de "plotter", adivinhe em que tipo de equipamento será impresso? isso mesmo: numa impressora profissional com um Bulk Ink acoplado a ela.

A Internet está lotada de sítios onde é possível localizar impressoras, Bulk Inks e tintas de ótimo custo-benefício. Não destaco nenhum por não ser esta a finalidade do Blog (aqui não é entreposto de comércio). Mas fica a dica para todos que queiram gerir com mais sobriedade seus orçamentos diversificados, em matéria de impressões, ok?


2 comentários:

Manthis disse...

Célio,
Embora as Bulk-Ink sejam realmente atrativas a princípio, elas só se pagam se elas tiverem médias de 3 a 5 mil páginas mês. E neste termo, quem tem tal volume de impressão deveria usar uma laser.
A Bulk-ink é interessante para médios volumes, que não demandam alta qualidade de impressão. Não estou defendendo marcas, mas este tipo de solução não tem ainda um cenário muito definido. Já vi impressoras bulk-in "fritarem" as cabeças com 30 dias de uso, numa média de impressão de 800 páginas/dia.
E a cabeça de impressão era praticamente uma nova. E o vendedor, bem, ele falou para o comprador que ela suportava..
O custo de impressão de R$0,02 é apenas da tinta, né, porque o custo real de uma impressão numa bulk-in é de R$0,07 a R$0,09 a folha.
Abraços

Célio Lima disse...

Você está certo quanto ao preço, eu deveria ter incluído o do papel na equação. Falha nossa! Bom, minha experiência pessoal com duas máquinas, uma HP e uma Epson (média de 1300 páginas por dia) não me deu nenhuma dor de cabeça ainda. Pode ser estatisticamente uma exceção, mas não conheço muitas pessoas que usam o sistema aqui em João Monlevade. Para quem pretende fazer um investimento inicial mais alto, pode ser estratégico realizar uma boa pesuisa antes, por via das dúvidas.

Um abraço, J!