segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

Leiam no Blog Jornal O Popular



Antes de emitir qualquer opinião, sugiro algumas reflexões muito importantes. Eis um problema de Estado, não de pessoas. Mas é um problema que causou dores impensáveis a uma família monlevadense, e não precisava e nem poderia ter acontecido.

E faço parte indireta deste horror anunciado. Fui o profissional técnico de Perícia que compareceu à residência da família, para justificar o aparato de Segurança Pública que ainda fingimos ter no Brasil e em Minas Gerais.

Deus nos ajude. A Política tradicional e o Estado instituído parecem ter lavado as mãos.

P.S - Aceito as críticas de que minhas mãos ainda estão sujas. Como eu afirmei antes, sou cúmplice e vítima ao mesmo tempo, do Governo de Estado de Minas Gerais. Se um dia eu puder relatar o colapso da Perícia Criminal em nossa região sem receio de represálias por parte do mamute público, a população chegará a conhecer o quanto é vítima e cúmplice neste processo. exatamente como eu mesmo.

Um comentário:

Celso4Fury disse...

E aí?

Apesar de não ser capaz de compreender "na alma", a dor destas pessoas, pela perda do ente querido, devo:

Execrar o palntel (01) do (IML) Quiá, quiá, quiá..., por conta de seu profissionalismo?

Condenar mais uma vez a administração municpal, por abrtaçar uma causa do governo? (Mais uma das muitas, que por não gerarem muitas divisas, ele "taca" nas costas de alguns municípios).

Levantar as mão aos céus, por que um representante da câmara, fez valer seus votos, após "enxergar" uma verdade, quer a Câmara e Prefeitura Municipal "desconhecem"?