sexta-feira, 25 de março de 2011

Assunto para economistas

Não é possível adquirir riqueza desfazendo-se de riqueza. Essa é uma lei econômica simples de entender. Mas em João Monlevade não funciona. Aqui o certo é desfazer-se dos bens que se tem para adquirir outros, como se isso não fosse trocar seis por meia dúzia.

O Legislativo de minha cidade perdeu uma ótima chance de mostrar que é um Poder. Que seja independente é algo mais complicado, porque não é de agora que serve de base de lançamento para o que o Executivo queira. Já foi pior, vamos nos lembrar.

Mas os edis aliados estão caindo numa armadilha velhíssima e muito conhecida por uns poucos "felizardos" daqui: mais tarde estarão à beira da estrada e serão companheiros feridos. E aí não importará o quanto contribuíram para a batalha. Na matemática desta guerra, serão apenas perdas necessárias do processo e ficarão para trás.

Irão requerer a ajuda de quem, nessa hora?

Ok, gente. Hora de pensar nas muitas áreas públicas que ainda podem ser vendidas para fazer caixa. Aquele mesmo que foi dilapidado uma vez, mas agora será diferente... Agora vai!

Vereadores, continuem com este bom trabalho. As cadeiras vagas interessam a muita gente aqui embaixo.

4 comentários:

Marcos Paulo disse...

Célio,
Será que o governo não quer, na verdade, vender as áreas aos permissionários para regularizar a situação? Se for isso é uma boa solução, não acha?

Célio Lima disse...

Seria uma boa solução, se fosse executável. Mas como vender aos permissionários, de forma 100% garantida, se as áreas deverão passar por licitação pública, onde qualquer pessoa tem o direito de participar?

O foco da postagem não é a habilidade política da questão, mas a fundamentação econômica. Na esfera da habilidade política, a simples permuta de áreas pelo valor comercial seria simples e prática.

O fundo da questão é o fundo do caixa municipal, porque ele chegou ao fundo e parece não querer sair de lá.

E o enfoque é sobre a incrível capacidade de nossos legisladores em ser apenas um puxadinho do Executivo, abdicando de solicitar, por exemplo, um plebiscito ao povo que é dono das áreas para saber de sua vontade na matéria.

A Democracia é empobrecida com frequência, mesmo cheia de mecanismos que permitam fortalecê-la.

Esta é minha opinião, claro. Gosto que os leitores me questionem porque não tenho Escritura da Verdade. Ninguém tem.

Anônimo disse...

A forma que vc escolheu para campanha, com certeza, terá uns 15 votos para vereador em 2012, kkkkkkkkkk

Celso4Fury disse...

Interessante é ver quão poucas pessoas em Monlevade, assim como no Brasil, sabem que os poderes públicos teem sua razão de existência, o Povo...

São tantos tapados que batem palmas pro circo, sem se preocuparem com o pão!

Prá mim é uma baita palhaçada, o modo como estão lidadno com esta questão, tanto o Executivo qunto o Legislativo.

Mas no fim, a mídia sempre adoça a boca do povo...