quarta-feira, 6 de abril de 2011

Convite à razão

Não sou ingênuo nem idiota. Tudo bem, algumas pessoas em João Monlevade teimam em agir como se eu fosse. Aceito com a naturalidade de quem entende a liberdade e o arbítrio como direitos, sem esquecer de verificar os deveres. Nem sempre pessoas aceitam os deveres de responsabilidade que o arbítrio livre traz como preço a pagar, mas este não é o meu caso. Definitivamente, não.

Sem ingenuidades ou idiotices, faço um convite aos mentores da manifestação que está programada para acontecer na Câmara Municipal na data de hoje. Já que, temporariamente, existe uma solução externa para a questão de se manter ou não em plenário o crucifixo que há alguns anos ali se encontrava (e que era visto somente pela meia dúzia de gatos pingados que acompanhava as reuniões, devo lembrar), é hora de repensar se esta manifestação ainda tem razões de acontecer.

Ontem a Justiça local determinou, em liminar, que o símbolo religioso retorne ao plenário. Uma liminar é apenas uma visão inicial de um magistrado a respeito de um conflito, mas o Presidente da Casa Legislativa deverá aceitar a decisão sem maiores questionamentos de mérito. Seria uma forma excepcional de demonstrar que o pensamento democrático prevalece sobre uma questão individual. Mesmo que a questão individual esteja correta.

E o outro pólo do conflito? Os idealizadores da manifestação teriam a mesma compostura? Que ela seja cancelada eu duvido muito, pois é um baita palanque para gente desesperada. Mas é uma hora danada de boa para orientar todos os participantes de que a questão central da discordância está encerrada. Se ainda houver uma manifestação, há tempo de sobra para que ela seja planejada como algo positivo.

É aguardar para ver. Dos atos e atitudes ninguém consegue escapar a uma avaliação bem certeira sobre suas motivações.

Faço minhas as palavras do Zé Henriques, (http://www.jhenriquesjr.com.br/blog/), em comentário postado no Blog do Marcelo Melo:


"Espero que não tenhamos cenas lamentáveis. Infelizmente, o debate dos problemas públicos virou “pó” mediante este tipo de atitude. Espero que amanhã as pessoas não pensem que a casa legislativa é palco de uma guerra santa. A batalha deveria ser para eliminar buracos, para resolver problemas da máfia dos combustíveis, para resolver os problemas de infra-estrutura que acabam atrasando nossa cidade.
Mas vamos subindo a montanha”

Porque em terra de cegos, quem tem um olho gasta o dobro com colírio.

2 comentários:

Anônimo disse...

o celio vc q ta por dentro do assunto!!
tem alguem morrendo pra q o juiz solte uma liminar???

Célio Lima disse...

Mais tarde está programada uma postagem sobre este fato. A pergunta é muito pertinente e precisa de uma resposta séria e isenta, mesmo.

Obrigado pela participação.