segunda-feira, 4 de abril de 2011

É de graça, mas só pega quem quiser

O recado é gratuito. Políticos novatos tendem a se perder na malandragem geral do sistema. A vida política não prevê adolescência, só possui duas fases. Na infância - o primeiro mandato - tudo que se pode esperar é que haja pais zelosos para mostrar um caminho.

A adolescência não existe. Não há tempo hábil, porque uma infância mal vivida termina quase sempre em morte. Ou física ou intelectual, o que acaba por representar a mesma coisa. Então, para os políticos de primeiro mandato em João Monlevade, fica o recado da solidez. Busquem a solidez da caminhada segura e terão a chance de caminhar muito.

Depois de amanhã, haverá manifestação popular em frente à Câmara Municipal? Como, se o projeto que mais interessa no momento poderá entrar em pauta no mesmo dia? Como, aliás, uma matéria tão importante para a cidade inteira não foi apresentada a plebiscito popular antes de chegar à Casa Legislativa?

O plebiscito e o referendo estão na Lei Orgânica do Município. Todos deveriam saber deste fato. Uma manifestação plebiscitária só enriqueceria o orgulho dos monlevadenses em construir processos políticos. Mas interessaria aos parlamentares em que sentido?

Os mais velhos e mais espertos já mapearam suas perdas e ganhos. Aos novatos, fica o ônus de apostar totalmente no escuro, arriscando a cadeira e a carreira.

Tem gente aí que só pode arriscar agora a cadeira. A carreira já foi. E a vida adulta na política também.


2 comentários:

Anônimo disse...

Ta falando do imprefeito prandini,ja perdeu ate a profissao,quem vai querer um advogado dessa estirpe p defender seus interesses,vamos aguardar e cobferir,quem planta vento colhe tempestade.Celio se você nao publicar meu comentario de novo vou ficar triste c você.

Célio Lima disse...

Eu não publiquei o primeiro comentário porque, sinceramente, achei que ficou pesado demais. Agora você achou o jeito certo. Emitiu sua opinião e exerceu sua liberdade sem abusar dela.
Podemos gostar ou não de um trabalho, mas quando a gente respeita os limites ganha o direito de cobrar dos outros (no caso os políticos) que respeitem alguns limites também.
Obrigado pela participação.