quarta-feira, 29 de junho de 2011

A vida devastada

Ontem à noite tive mais uma oportunidade de observar o fim de vida, ironicamente acontecendo antes que ela comece de forma efetiva. Um garoto de 17 anos foi assassinado no na região do Estrela D´Alva/Monte Sagrado.

Infelizmente para todos nós, este tipo de morte é comum no Brasil. São centenas acontecendo todos os dias, e o motor é um só: o tráfico de drogas ilícitas.

A vida devastada pelas drogas tende a ser devastadora também para as vidas que a cercam. As famílias, os amigos, as autoridades e a sociedade inteira são devastadas junto com cada um dos que tombam pelo tráfico ou para o tráfico. Eu não imagino uma resposta para este problema, se é que há alguma resposta.

O combate, como nós o fazemos no Brasil, é inútil. Combater a natureza humana é gastar bilhões sem alcançar sucesso algum. Não combater o problema seria ainda pior, na minha modesta opinião. O que temos é que descobrir uma maneira eficiente de realizar este combate.

Uma verdade universal vai prevalecer: as vítimas vão continuar acontecendo durante o processo, e é fundamental não permitir aos criminosos adquirir o controle sobre quem vive e quem morre. Se isso acontecer, o fim da humanidade não será representado pelo Armagedon bíblico. Será representado por lápides de crack.

2 comentários:

Pedro Paulo disse...

Célio,

Recentemente, em uma matéria da revista Veja, o ex-Presidente Fernando Henrique defendeu a liberação da maconha, tem lá seus motivos, mas não acredito que seja a melhor solução, visto que as politicas em países desenvolvidos, esta tese não funcionou, caso da Holanda por exemplo.

Com essa fronteiras continentais de nosso país,e com a fiscalização tão precária, facilitando portanto o acesso ás drogas, vai ser dificil pelo menos amenizar este problema.

SDS

Pedro Paulo Gomes Costa

Celso4Fury disse...

Você citou livros, em um tempo em que mesmo tc errado, a web te mostra!
Não às legendas, alguém sempre traduz, portanto é mais simples viver vazio e sem perspectivas, curtindo a vida de mente aberta e sem alma, do que batalhar prá ser algo mais que os que ficam em casa, buscando descanso, convívio em família quem sabe, ínves de cair no mundão!

Fala sério! Bate-papo, bebida, esportes?
Isso é coisa de otário!

Entende, manow?
Podes crê!!!

Valores humanos, não existem mais, nínguém sabe o que pode ser isso...