terça-feira, 15 de novembro de 2011

Polaroids em tons de cinza

Galvão Bueno se empolga com os sopapos do "esporte" em que o importante é causar lesões em outro ser humano.

A seleção brasileira goleia o poderoso Egito por 2 x 0 e tem gente já chamando "o hexa".

O rock brasileiro responde por Restart e Cine.

Os professores brasileiros não conseguem ganhar um piso salarial de R$ 1.187,00.

O pudor e a vergonha na cara viraram peças de museu.

Pagamos 35 mil reais por carros sem airbag e sem ABS.

A tabela de nosso Imposto de Renda está defasada em mais de 15%.

A Vale do Rio Doce, que utiliza uma concessão pública, se recusa a transportar mais que uma viagem de passageiros por dia, entre BH e Vitória.

Nossa taxa de juros básicos é a maior do mundo.

Ladrões de óleo de cozinha vão para a cadeia, políticos ladrões de milhões nunca.

Estudantes protestam pelo direito de enfiar o rabo na maconha dentro de uma Universidade Pública.

Ação de Estado destrói carro de trabalhador na Rocinha; Governo do Rio diz "Que se ficar comprovado que foi responsabilidade nossa, pagaremos".

Nenhuma cerimônia de hasteamento da Bandeira Nacional aconteceu hoje em minha cidade.

Há décadas estamos sem cinema por aqui. Cavalgada tem todo ano.

85 bilhões de reais são engolidos pela corrupção brasileira anualmente.

A agiotagem ainda é crime para quem não for operadora de Cartão de Crédito, Banco ou Financeira.

Cerca de 60 % da população brasileira consegue ler, sem abstrair ou formular uma única ideia a partir do que leu.

Cerca de 15 % da população brasileira não consegue abstrair ou formular ideias, simplesmente porque não sabe ler.

Ideias só são consideradas se forem do agrado de mandantes. Ou do agrado de seus interesses.

Homens públicos brasileiros, em sua esmagadora maioria, não entendem que são empregados da sociedade e que possuem deveres a cumprir.

Mulheres estão se reduzindo à condição de carros velhos: quando não estão empenhadas em pintura, estão sonhando com a funilaria.

Homens estão abdicando do dever de serem mais que garotos mimados e turrões.

Minas gerais fechou, de uma só vez, os dois principais estádios que possuía para a prática do futebol profissional. Em nome de uma Copa do Mundo que vai nos deixar mais pobres, mais enojados, mais apequenados diante do mundo.

Nosso trânsito tem dezenas de gestores. Nenhum deles é aquele deveria gerenciar o trânsito.

Monlevade age como se a "roçalização" de sua sociedade fosse resolver todos os problemas. Pelo menos serve para vender picapes e roupas de cowboy...

Ainda faltam muitos absurdos para 2011 acabar.

Nenhum comentário: