sexta-feira, 13 de janeiro de 2012

Dinheiro não é banana

O advogado Adilson Prates, em seu blog, apresenta ideias que podem gerar uma economia mensal de cerca de 2 milhões de reais à Prefeitura Municipal de João Monlevade. São remédios aparentemente amargos aos olhos do político de qualquer estirpe, mas que a uma análise mais profunda demonstram ser ótimos medicamentos para a manutenção de uma qualidade de vida invejável. Vamos observar com calma:

Mesmo considerando-se que os apontamentos do Adilson Prates estejam, como ele mesmo alerta, errados em cerca de 20%, eu já demonstrei aqui no Drops como a Limpeza pública pode gerar economia anual de 700 mil reais. A menos, é claro, que alguém esteja dando uma mamadinha no lixo.

Bom, aí teríamos 1.600.000,00 aproximados no cálculo no nobre advogado economizados todo mês. Logo, teríamos 19.200.000,00 somados aos 700 mil reais que já provei serem desperdiçados com lixo, todo ano. Num mandato completo, seriam 79.600.000,00 para investir na cidade. Uma mega-sena gorda, capaz de asfaltar a Lua, o Iraque e o Egito inteiros.

Ninguém deve se iludir com o animal político. Eles sabem destas contas e sabem que elas são realizáveis no médio prazo. Só não querem realizar porque isso quebra o paradigma da política fácil, de balcão, que impera no Brasil desde os tempos da roca de fiar.

E ninguém deve se iludir com o fato de mostrarmos os caminhos. Somos esporos externos, pontos fora da curva que não são levados em muita conta. Mas se houvesse senso crítico no meio em que vivem, políticos aproveitariam estas oportunidades e ideias para aplicar melhor o dinheiro público e isso geraria uma justa e confiável propaganda eleitoral. Com efeitos muito mais saudáveis do que o ato de babar no ovo que é obtido à custa de dilapidar nosso dinheiro com golpes de foice. Geralmente por açeçores que mal sabem apertar o alfinete da fralda que ainda usam...

Dessa fórmula perversa vem o hábito de tratar o dinheiro dos nossos impostos como se fosse banana, encontrável em qualquer quintal ou balcão de feira. O cidadão pagador de impostos não suporta mais essa mentalidade tacanha.

Nosso pensamento é sempre no sentido de que o próximo Prefeito irá navegar em águas políticas turbulentas. Irá, mas a crise é também o melhor momento da oportunidade. Seguindo receitas ortodoxas e serenas, ele poderá vir a ser lembrado como "O cara" que retirou o município do buraco e criou um novo patamar de se fazer política em nossa cidade.

Será isso ou teremos muito mais anos de paralisia a vencer.

5 comentários:

Celso4Fury disse...

Cara, como funcionário público. levei bem uns 07 anos para entender, que Sempre deve haver, e há separação entre minhas ações como figura pública e como cidadão, quando todo mundo em volta não se apercebe disso, ou não é ministrada a este entendimento. Nós, Monlevade, no conforto da idiotia coerente, sempre vamos citar os Mauris, Carlos, Prandinis, Carlinhos e por aí vai, por que essa limitação "mental" é propícia e masi simples que usar o cérebro.
Poucos são os eleitores que não votam por emoção, expectativa de pão, circo e gastança, como se isso alimentasse nossas mentes e corações, em situações como a qeu nos encontramos como cidadãos brasileiros, nesse momento em que o milagre é o governo Federal, resgatar a dignidade dos que estão a míngua, no que diz respeito ao que se esperar do município, para os próximos dias, próximas chuvas, e outro fim de ano. A gestão do que é público nesse País, ainda é sempre a mesma: Num é meu, é de todos, então, toca-se o f#$%Q! E então, os impostos, vão pelo ralo em equipamentos/suprimentos, por que ninguém se preocupa com isso, nem dentro e nem fora do poder público. E pena maior é ver que tem uma pá de gente tentando mostrar prás pessoas o quanto é bom enxergar isso antes que seja tarde, contudo, criticar e manter acomodação é mais fácil.

Anônimo disse...

Enquanto isso vemos funcionarios da prefeitura e assessores do prefeito comprando imoveis e montando empresas com uma facilidade que dá até inveja!

Anônimo disse...

Como voce babam uma opinião de um homem que ficou vários anos na CAMARA como procurador e cansou de publicar pareceres medíocres e hoje como futuro candidato a quem diga que este e o cara. E esse funcionário publico deve ser um frustrado porque se oferecer qualquer coisa ele vira a casaca. Esta e Monlevade.hshshshs.
Quanto a voce Celio eu respeito,ok.

CÉLIO LIMA disse...

Gente, agradeço os comentários. Eu dei uma relida no meu texto e não percebi uma "babação", mas aqui a opinião do leitor vai do jeito que ele diz, se não houver ofensa nem crime no comentário.

Respeito com os comentaristas eu vou ter sempre, e vou ser sempre agradecido a todos. Um abraço!

Anônimo disse...

Não concordo com uma só palavra que dissestes, mas respeito seu direito de dizê_las, o que não respeito é a falta de atitude ao não se identificar. Palavras sem rostos são como nota de 30 não gozam de credibilidade.
Ass: Cristiano Prates
Ps: existem alguns erros de concordância em seu comentário, favor prestar atenção quando escrever.