quarta-feira, 14 de abril de 2010

Oh, dúvida cruel!


Perdeu a "confiança política" do seu maior parceiro?

As pessoas que o rodearam nos últimos anos fitam-no, agora, com um semblante carregado e reprovador? Sente-se desnorteado ou desamparado? O preenchimento que sente na carteira é inversamente proporcional ao preenchimento no seu coração?

Não se deixe desanimar, meu chapa. Quem perde a "confiança política" não pode desanimar! Levanta, sacode a poeira e dá a volta por cima...

Um comentário:

Celso4Fury disse...

Ah, meu caro, nem é preciso dizer muito. Mas, onde e quando, o cidadão se escuda em padrinho; para fazer e acontecer, enquanto pode, deixa a embriaguez tomar conta a tal ponto, que se esquece dos caminhos que trilhava antes.

No momento, o "cara" pensa que é o cara, já não mais se lembra de onde veio e como veio, só pensa que chegar é o mais importante, e estar bem, eternamente...

Sozinho?

Dependendo do preço que deu a si mesmo, assim pode ser...